Benefícios do RGS na Esclerose Lateral Amiotrófica

A Esclerose Lateral Amiotrófica, vulgarmente conhecida como ELA, é uma patologia neurodegenerativa que afeta as células cerebrais e da medula espinhal, de forma progressiva, afetando diretamente os neurónios motores, tanto superiores como inferiores. Isto é, ocorre a morte progressiva dos neurónios responsáveis pelo controlo do movimento voluntário.

Assim, como principais sintomas constatam-se pequenos movimentos involuntários (fasciculações) dos músculos, fadiga e cãibras. Além disso, pode ocorrer espasticidade (aumento da resistência ao movimento passivo), fraqueza ou atrofia muscular e alterações sensoriais, com consequentes défices de equilíbrio, marcha e coordenação motora.

Sendo o RGS uma terapia de realidade virtual indicada para a reabilitação do membro superior, equilíbrio e coordenação motora, este sistema permite um trabalho completo de reabilitação funcional, estando cientificamente comprovada a sua eficácia para o trabalho combinado entre o movimento e a observação com o intuito de melhorar a atividade cognitivo-motora. Ou seja, o RGS treina o cérebro para controlar novamente os movimentos do corpo, em particular os membros superiores (braço e mão). Este sistema permite ainda treinar funções mentais, tais como a atenção e a memória, permitindo ainda ao paciente ter um feedback visual em tempo real e consequente aumento da motivação para o exercício.

Para além do contexto clínico, o paciente pode ainda utilizar o sistema RGS em contexto domiciliar ou em teleconsulta sempre acompanhado pelos nossos fisioterapeutas, potenciando o resultado da sua reabilitação.

One Response