fbpx

Tecnologias

Treino Interface Cérebro-Computador

Os dados mundiais mais recentes indicam que, anualmente, cerca de 15 milhões de pessoas sofrem um AVC, sendo que a taxa de mortalidade ronda os 30%. Para além disto, um terço destas pessoas sofre de distúrbios físicos permanentes, que não podem ser totalmente reabilitados pela terapia convencional, e, existe ainda outra parte que sofre de outras doenças neurológicas, tais como lesões cerebrais traumáticas e esclerose múltipla, sendo que estas podem causar défices motores, hemiplegia ou espasticidade.

Tendo em consideração que um período prolongado de redução da mobilidade não afeta apenas a qualidade de vida do paciente, mas também pode acarretar complicações mais graves, como pneumonia, trombose e contraturas, e que, por vezes, a fisioterapia convencional também não oferece qualquer possibilidade adicional de reabilitação para ajudar os pacientes a recuperar o controlo do braço, mão, perna ou pé, o Treino Motor através de Interface Cérebro-Computador (Treino ICC) assume assim um papel fulcral, proporcionando uma nova oportunidade de reabilitação.

O Treino Motor através de Interface Cérebro-Computador é um sistema de reabilitação desenvolvido especificamente para pacientes com défices neurológicos. A título de exemplo, pacientes que tiveram um AVC, um traumatismo crânio-encefálico ou outra lesão cerebral podem fazer esta terapia, desde que cumpram os critérios de inclusão que são verificados na avaliação inicial. Além disso, pacientes com hemiplegia, défices motores resultantes de lesão cerebral, dor, espasticidade ou esclerose múltipla podem também beneficiar com esta terapia.

O Treino ICC é uma neurotecnologia inovadora e única para a reabilitação de pacientes com AVC e pacientes com outros défices neurológicos, uma vez que, não só ajuda o paciente a recuperar as funções das extremidades superiores e inferiores, como potencia a fisioterapia padrão com a possibilidade de uma recuperação mais rápida e bem-sucedida. Além disso, quando a terapia padrão não consegue produzir nenhum benefício adicional, este treino oferece uma segunda possibilidade de obter melhorias, podendo ser usado em estados agudos, subagudos ou crónicos.

Alguns dados:

– 99% dos pacientes melhoram as suas funções motoras;

– 99,9% dos pacientes melhoram a espasticidade nos dedos e no pulso;

– Aplicável e eficaz, mesmo 10, 20 ou 30 anos após a lesão cerebral, AVC, entre outras condições.

– Um bloco de terapia contém 20-25 sessões. Recomenda-se um mínimo de três sessões de terapia por semana. Os pacientes podem fazer até dois tratamentos por dia. Tal é particularmente útil para reduzir o tempo de viagem e estadia.

Por último, esta terapia pode ser combinada com a fisioterapia tradicional ou terapia ocupacional. Na verdade, já combina três terapias em apenas uma: (i) estimulação elétrica funcional, (ii) imagética motora e (iii) terapia de neurónios-espelho. Adicionalmente, a fisioterapia adicional pode ser benéfica para o paciente.

Shopping Basket
Inicar conversa
Precisa de ajuda?
Olá, em que podemos ajudar?